Assinatura Eletrônica, assinatura digital, certificado digital. Qual é a diferença?

Assinatura Eletrônica, assinatura digital, certificado digital. Qual é a diferença?

24 aug 20

Por Matheus Diniz

A assinatura eletrônica nada mais é do que o método tecnológico que permite evidenciar a autoria e integridade do conteúdo de um documento eletrônico, o que abrange a proteção dos seus metadados. São espécies de assinatura eletrônica a assinatura digital, a assinatura biométrica, assinatura por geolocalização, etc.

Já a assinatura digital é a espécie de assinatura eletrônica caracterizada pelo emprego de criptografia de chaves assimétricas na função hash de um documento. Elaboramos o card para facilitar a compreensão desses aspectos tecnológicos no nosso instagram

Muito embora a assinatura digital seja meio apto a atestar a autenticidade de um documento eletrônico, percebeu-se a conveniência de associá-la a um processo de autenticação, para oferecer um grau adicional de segurança, o que deu origem à certificação digital.

Em apertada síntese, os certificados digitais são utilizados ​​para verificar também a identidade do emissor, enquanto assinaturas digitais se limitam verificar a confiabilidade dos dados enviados (resguardado o uso de outras ferramentas de autenticação).

Porém, é importante distingui-la da assinatura digitalizada. A assinatura digitalizada nada mais é do que um arquivo de imagem que reproduz digitalmente a grafia de uma assinatura física.

Como a autenticidade da assinatura física reside na capacidade de verificação de alterações no suporte material por meio de perícia técnica, é notório que a imagem digitalizada não será apta a demonstrar que quem firmou o documento é realmente a pessoa ao qual a imagem da assinatura foi vinculada.

Por esse motivo, a assinatura digitalizada não é aceita pelos tribunais pátrios como recurso de autenticidade de documentos, diferentemente do que ocorre com a assinatura digital. 

Image

Publicação Sugerida

Provimento nº 94 do CNJ
PORTARIA CONJUNTA N o CGJ/CCI–08/2020-GSEC altera disposições da Portaria CGJ/CCI – 07/2020 para adequação aos Provimentos 93 e 94/2020, da Corregedoria Nacional de Justiça e dá outras providências.
Mais de 220 pessoas participaram nesta quarta-feira (26) da 7ª Audiência Pública do Plano Salvador 500, PDDU e Louos, no Centro de Cultura da Câmara de Vereadores. Foram mais de cinco horas de debates em torno do relatório "Salvador hoje e suas tendências" - um dos estudos desenvolvidos pela Prefeitura Municipal para o planejamento da cidade e a revisão do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (
Em 18 de março de 2016 entrou em vigor o novo Código de Processo Civil (Lei 13.105/2015). Várias são as novidades, mas uma em especial será bem recebida por todos que fazem questão de honrar com seus compromissos perante o condomínio.