Uso de dados

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Concordo

Chezzi dá dicas sobre venda dos imóveis da União.

02 feb 16

 

União põe 12 imóveis à venda na Bahia

 

.


Quase 240 imóveis da União, em 21 estados, estarão disponíveis para a venda através de concorrência pública, segundo divulgado esta semana no Diário Oficial da União. O maior número encontra-se no Distrito Federal (61) e em Minas Gerais (58). Doze deles são na Bahia, em cidades como Salvador, Paulo Afonso e Cachoeira.

.

Assim como os leilões, as concorrências públicas são modalidades de licitação utilizadas para a venda de imóveis públicos. O comprador é aquele que oferece o maior valor. No leilão, no entanto, é possível saber os lances dos interessados e competir diretamente para oferecer o maior preço. Além disso, a modalidade de leilão só é permitida para imóveis avaliados em menos de R$ 1,5 milhão.

.

Já na concorrência, as ofertas são enviadas por escrito e não é possível saber o preço oferecido pelos concorrentes. Uma fase de habilitação também é necessária com depósito de 5% do valor de avaliação do bem. Todas as obrigações devem estar expressas no edital de licitação.

.

O edital da concorrência ainda será lançado pela Caixa Econômica Federal, mas os interessados em adquirir o imóvel já podem se informar e tomar as providências que podem ser feitas antes do lançamento.

.

Segundo Bernardo Chezzi, advogado especialista em direito imobiliário, os possíveis compradores já podem adiantar muitas das providências apenas com a identificação do imóvel e sua localização. Em Salvador, por exemplo, os imóveis à venda serão duas salas comerciais, localizadas na Avenida Tancredo Neves. “Também é possível encaminhar aspectos financeiros da aquisição, buscando-se a aprovação de credito junto a instituições financeiras”, diz Chezzi.

.

De acordo com o Ministério do Planejamento, os interessados na aquisição poderão utilizar recursos próprios, empréstimos, financiamentos, cartas de crédito ou quaisquer outras linhas de crédito obtidas no mercado financeiro.

.

Cuidados necessários

.

Para o advogado Bernardo Chezzi, quanto maior o valor do bem, maiores devem ser os cuidados. “O ideal é fazer uma auditoria para aquisição (due diligence). Verificar se o imóvel está de fato desocupado, evitando transtornos judiciais e financeiros para garantir a efetiva posse após a aquisição; verificar se não há nenhuma demanda judicial discutindo direitos sobre o imóvel, envolvendo a posse ou a propriedade; se no cartório não há imóvel de outro ente federativo coincidente com área ou até particular”, afirma o especialista.

.

É preciso verificar se os objetivos pretendidos para o imóvel por parte do comprador serão possíveis no futuro. Para isso, Chezzi orienta que o comprador verifique se não há alguma restrição urbanística ou ambiental. “Cada imóvel demanda um certo tipo de atenção específica”, completa o advogado.

.

Apesar dos editais serem de fácil compreensão e amplamente divulgados em veículos de grande circulação, especialistas indicam cuidados para quem está interessado no negócio. “Em caso de insegurança, é bom contratar um advogado ou outro profissional capacitado, mas os editais são compreensíveis ao público em geral. A pessoa só precisa estar atenta ao correto preenchimento da proposta. Erros podem levar à anulação da proposta”, afirma o advogado especialista em direito imobiliário Uendel Rodrigues.

.

De acordo com o advogado Bernardo Chezzi, a ajuda profissional é importante principalmente em casos em que o valor do imóvel seja alto. “As impugnações são feitas durante o procedimento, e qualquer ato que não se atenha às formalidades é passível de questionamento pelos outros participantes. Uma vez arrematado o imóvel, a aquisição é por conta e risco de quem compra, por isso o investidor deve estar previamente seguro sobre a aquisição”.

.

Jornal A Tarde - Salvador - Sábado - 30/01/2016

Tags:
Image
Nossa equipe, em conjunto com a Associação dos Registradores do Estado da Bahia, desenvolveu o Boletim Registral – uma série de informativos com comentários nos artigos modificados – para que você possa estar por dentro das principais atualizações.
Uma cidade onde se gaste menos tempo com trânsito, onde se possa morar mais perto do trabalho, cercado de áreas verdes e de um sistema de transporte público eficiente. Estes são, seguramente, anseios comuns aos habitantes das grandes metrópoles brasileiras.
Image
A Lei Geral de Proteção de Dados (Lei nº 13.709/2018) estabelece normas para o tratamento de dados pessoais, ajustando o fluxo de informações em todo tipo de organização, inclusive nas serventias extrajudiciais, como expressamente previsto no art. 23, §4º deste diploma.